A beleza não elimina a tragédia, mas a torna suportável.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Li e recomendo!



As lições de Chico Xavier - Marcel Souto Maior.  São lições de vivência do dia a dia. Muito interessante!
As vidas de Chico Xavier - Marcel Souto Maior.
Quando Nietzsche chorou - Irvin D. Yalom.  Nascimento da Psicanálise em meio aos desajustes e problemas de Nietzsche e seu tratamento. Muito bommmmm!
O caçador de pipas - Khaled Hosseini. Nos faz refletir sobre as dores do mundo  e as dores do amor!
A sombra do Vento - Carlos Ruiz Zafón. Sedutor, misterioso, lindo!

Rubem Alves:
As melhores crônicas de Rubem Alves. 
Ostra feliz não faz pérola. 
O infinito na palma da sua mão. 
O sapo que queria ser príncipe. 
Cantos do Pássaro Encantado.
Do universo à jabuticaba.
Sou suspeita em falar pois amo Rubem Alves, mas todos são excelentes!

Amizade virtual!

Valendo-me do Poema Enjoadinho de Vinicius de Moraes, criei uma“versão” mostrando a importância desse amigo que através de uma tela e teclas, nos completa, entende, ama, sorri, chora, torce e acima de tudo nos quer bem a qualquer hora em qualquer tempo! Alguns são mais íntimos outros nem tanto, porém o carinho e a atenção é a mesma.




Amigos virtuais?
 Amigos virtuais
Melhor não tê-los
Mas se não os temos
Como sabê-los?
Como saber
Do calor
Do amor
Em forma de mensagem.
                        ......
Do conforto das palavras tecladas
Da paz e alegria que se sente
Ao receber de presente
Recados em forma de desenhos
                        ......

Alegria e comunhão
Espantando a solidão.
Que coisa louca
Que coisa linda
Que os amigos virtuais são.
   



                                                             
Que tecnologia maravilhosa essa que nos possibilita conhecer não só o nosso país, mas o mundo inteiro, ter acesso a lugares, pessoas e situações antes não imaginadas! Abençoada tecnologia que nos dias de tristeza e solidão nos presenteia com mensagem de otimismo, força, amor e doação enviada de tão longe por amigos ao mesmo tempo tão pertos.
 Pessoas que nunca se viram nem se tocaram, no entanto se reconhecem nos gostos, afinidades, pensamentos, sonhos, objetivos, criando um laço tão forte que lhe é possível perceber quando o outro não está bem!
 Você deve estar se perguntando o porque de toda essa divagação...explico!
Dizer aos meus amigos  ‘virtuais’ que eles são tão especiais quanto os reais, e que  a diferença entre eles é tão somente o contato, tato, olfato. A falta do toque na pele em nada atrapalha dar e receber carinho e amor; a fazer confidência, dar risadas, emocionar, entristecer, alegrar! Tenho amigas virtuais e as amo em essência, espero conhecê-las um dia, dar um abraço, tomar uma cerveja, curtir um cinema, quem sabe até um show? Independente do que nos aproximou, hoje nossa amizade segue livre e estaremos sempre juntas, no amor e na dor.
Cada uma com sua historia, seus problemas. Solteiras, casadas. Batalhadoras,  sedutoras. Amigas!
 Acredito que o inventor/idealizador*, não imaginou que o mesmo chegaria tão longe, tão alto. No começo teclas, depois som, vídeo e hoje já é possível falar, ver e ouvir nosso amigo separado apenas por uma tela, logo logo sentiremos também cheiro....Alguém duvida??
Somos confidentes, mãe, irmã, conselheira, rsrs. Trocamos receitas, contamos piadas, ouvimos musica, rezamos, compartilhamos sonhos e emoções! Que nome poderia dar a isso senão amizade??
 Tenho o privilegio de dizer que hoje tenho amigas que ultrapassou o virtual  e que partilhamos no mundo real os mesmos gostos, afinidades, idéias e sentimentos de antes.  E assim será com as demais, tenho certeza.
Obrigada queridas amigas! Reais ou Virtuais, vocês estão no meu coração e faz os meus dias melhores, mais coloridos, brilhantes, emocionantes, engraçados.  Recebam o meu carinho, amor e admiração!

Amo vocês para sempre!


* No link  todas as informações sobre o surgimento da internet.

terça-feira, 29 de março de 2011




“Sou uma parte de tudo aquilo que encontrei no meu caminho.”
Alfred Tennyson

segunda-feira, 28 de março de 2011

"Solidão"



"Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado...

Isto é circunstância.

Solidão é muito mais do que isto....

Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos

em vão pela nossa alma..." (Chico Buarque) 

Sobre o ensinar...


"Ensinar é um exercício de imortalidade.
De alguma forma continuamos a viver naqueles cujos 

olhos aprenderam a ver o mundo pela magia da nossa palavra.
O professor, assim, não morre jamais."

Rubem Alves

Bom dia!



De tudo, ficaram três coisas: 
A certeza de que estamos sempre começando... 
A certeza de que precisamos continuar... 
A certeza de que seremos interrompidos antes de terminar.... 
Portanto devemos: Fazer da interrupção, um caminho novo ... 
Da queda, um passo de dança... 
Do medo, uma escada... 
Do sonho, uma ponte... 
Da procura, um encontro... 


Fernando Pessoa.

domingo, 27 de março de 2011

Rio? Mar?


Por que ser Rio se posso ser Mar? Porque apreciar uma cor 
se tem à minha disposição um arco-íris? 
As escolhas nem sempre são fáceis. Mas necessárias. 
Através delas mostramos nossa essência. 
Personalidade. Caráter. Elas podem nos abrir portas e fechá-las também. 
É preciso maturidade para entender e aceitar. 
Opiniões, regras, normas, diferenças, sempre existirão. 
Antes de qualquer atitude é preciso refletir. 
Respirar. Assentar os pensamentos. Somos iguais nas desigualdades. 
Buscar o “porque” como instrumento de crescimento. 
Entender a dinâmica da vida não é aceitar tudo passivamente. 
É aguardar o tempo certo para cada acontecimento. 
Regando. Alimentando. Cuidando com amor e zelo. 
Quando chegar nossa hora eis que surgiremos fortes, bonitos, 
vistosos. Prontos para o que vier. Seja aonde vier.

Força estranha!

Hoje estou com meu coração apertado....sensação ruim....angustiada!
Lembrei dessa musica!


Eu vi um menino correndo
eu vi o tempo brincando ao redor
do caminho daquele menino,
eu pus os meus pés no riacho.
E acho que nunca os tirei.
O sol ainda brilha na estrada
que eu nunca passei.
Eu vi a mulher preparando outra pessoa.
O tempo parou para eu olhar para aquela
barriga.
A vida é amiga da arte.
É a parte que o sol me ensinou.
O sol que atravessa essa estrada que nunca
passou.
Por isso uma força me leva a cantar,
por isso essa força estranha no ar.
Por isso é que eu canto, não posso parar.
Por isso essa voz tamanha.

Eu vi muitos cabelos brancos na fonte do artista
o tempo não pára e no entanto ele nunca
envelhece.
Aquele que conhece o jogo, o jogo das coisas
que são.
é o sol, é  o tempo, é a estrada, é o pé e é o
chão.
Eu vi muitos homens brigando. Ouvi seus gritos.
Estive no fundo de cada vontade encoberta,
e a coisa mais certa de todas as coisas.
Não vale um caminho sob o sol.
Eo sol sobre a estrada, é o sol sobre a estrada,
é o sol.
Por isso uma força me leva a cantar,
por isso essa força estranha no ar.
Por isso é que eu canto, não posso parar.
Por isso essa voz tamanha.


Caetano Veloso.

sábado, 26 de março de 2011

"O espelho e os sonhos são coisas semelhantes, é como a imagem do homem diante de si próprio."

José Saramago.



Luis Fernando Veríssimo!

 Escritor, cartunista, roteirista de televisão, autor de teatro,
 romancista bissexto, além de músico.
Autor de crônicas, sátiras e textos de humor. Um dos mais
populares escritores brasileiros contemporâneos. 
Seu "dom" de criar e recriar foi herdado e influenciado pelo 
pai o também escritor  Érico Veríssimo!
Mais informações acesse: 
http://www.releituras.com/lfverissimo_bio.asp



Conferindo a Crônica 


Dez Coisas que Levei Anos Para Aprender

1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa.

2. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas.

3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance.

4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca.

5. Não confunda nunca sua carreira com sua vida.

6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite.

7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria "reuniões".

8. Há uma linha muito tênue entre "hobby" e "doença mental".

9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito.

10. Nunca tenha medo de tentar algo novo. Lembre-se de que um amador solitário construiu a Arca. Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic.


Luís Fernando Veríssimo











sexta-feira, 25 de março de 2011

A cultura agradece!



O escritor Rubem Alves esteve ontem no Teatro Palácio das artes em Belo Horizonte - MG convidado do "Sempre Um Papo" debateu vários assuntos e lançou seu mais novo trabalho o livro Variações sobre o prazer - Santo Agostinho, Nietzsche, Marx e Babette. Foi uma hora e meia de conversa deixando a platéia simplesmente emocionada e  querendo mais. Que o diga minha amiga Cândida que lá esteve. O bate papo foi intenso, engraçado, sério, erótico e claro educacional sendo ele aplaudido de pé ao final. Assim como aconteceu comigo, minha querida Cândida apaixonou-se pelas palavras que da sua boca saiam em forma de poesia,  dentre elas esta que me mandou: 


"Dentro da alma de todas as pessoas, sem exceção, existe uma oração de alegria." 


Obrigada pelo carinho amiga! Não tenho palavras para agradecer a emoção que senti ao ler seu relato. Espero que você o ame assim como eu.Saiba que me senti lá, participando da palestra! Mais uma paixão 
que nos une.
Te amo sempre!

quinta-feira, 24 de março de 2011

Melhoras para enxaqueca!


Beijo carinhoso e amoroso, abraço apertado e confortável,
sono leve e profundo, um show só para você, flores, brisa
fresca no rosto, paciência, uma tarde bonita, feriado, praia 
sem agito, ver e ouvir o céu, pouca filosofia, oração curta e 
de fé, ficar só, mas com alguém...amém.

Autor: Victor Chaves


Artesanato eu também faço! Parte II

Essa caixinha é de papel, embalagem de presente! Eu a fiz já tem um tempo.








Recortes de Etamine (tecido próprio para ponto cruz) ainda não sei onde aplicar, rsrs.














Porta lápis de latinha de molho de tomate!




Sim, tenho sentimentos contraditórios!





Sou alguém com sentimentos contraditórios, querendo, buscando, se completando.
Camuflada, escondendo sentimentos e emoções, por medo de ser condenada.
Às vezes não me reconheço me surpreendo,  me decepciono.
São pensamentos, desejos e satisfações ganhando vida própria nas ações, emoções e expressões!
Sou complexa, completa, transbordante, transparente, previsível e tão comum que às vezes passo despercebida.
Aniquilo meus sonhos por medo da imensidão, por não conseguir domá-los e perder a razão!
Sou a fina linha do tempo tecendo encontros e desencontros, refazendo momentos, e superando os fracassos! Sou a noite em busca de um céu estrelado pra iluminar o escuro vazio dentro de mim!
Me transformo, me descubro, me assusto!
Quero o impossível, o indomável, o  doce e frágil encantamento da lua em busca do sol!
Sou a dança e a canção do vento enfeitiçado pelo mar!

Sou gestos e atitudes que inovam e renovam cada vez que meu coração se enche de expectativa pela vida, com a vida e para a vida.


Raquel Fernandes.

"Eu não sou boa nem quero sê-lo, contento-me em 
desprezar quase todos, odiar alguns, estimar raros e
amar um."

Florbela Espanca.


quarta-feira, 23 de março de 2011


Não sei... Se a vida é curta ou longa demais pra
nós. Mas sei que nada do que vivemos tem 
sentido se não tocamos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser: Colo que acolhe. Braço 
que envolve. Palavra que conforta. Silêncio que 
respeita. Alegria que contagia. Lágrima que 
corre. Olhar que acaricia. Desejo que sacia. 
Amor que promove. E isso não é coisa de outro 
mundo. É o que dá sentido à vida. É o que faz 
com que ela não seja nem curta, nem longa 
demais, mas que seja intensa, verdadeira, 
pura... Enquanto durar...

Cora Coralina.
Felicidade! Ser feliz. Muitas coisas despertam esse 
sentimento em mim. As vezes gratuito. Sem motivo. 
O sorriso de uma criança. O vôo de um pássaro. Pessoas. 
Momentos. Situações. Música. Poema e poesia. Esta em especial.


A arte de ser feliz
(Cecília Meireles)


Houve um tempo em que minha janela se abria 

sobre uma cidade que parecia ser feita de giz. 
Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco. 
Era uma época de estiagem, de terra esfarelada,
e o jardim parecia morto. 
Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde, 
e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas. 
Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse. 
E eu olhava para as plantas, para o homem, 
para as gotas de água que caíam de seus dedos magros 
e meu coração ficava completamente feliz. 
Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor. 
Outras vezes encontro nuvens espessas.
Avisto crianças que vão para a escola. 
Pardais que pulam pelo muro. 
Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais. 
Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar. 
Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega. 
Às vezes, um galo canta. 
Às vezes, um avião passa. 
Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.
E eu me sinto completamente feliz. 
Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, 
que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, 
outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, 
que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.
..A felicidade aparece para aqueles que choram, 
para aqueles que se machucam, para aqueles que
buscam e tentam sempre, e para aqueles que reconhecem
 a importância das pessoas que passam por suas vidas....

(Clarice Lispector)


segunda-feira, 21 de março de 2011

Artesanato, eu também faço!





Terminando umas caixas de papel, depois publico para vocês verem!

Sim, eu sou razão, amor e emoção!


Eu nunca fui uma moça bem comportada.
Pudera, nunca tive vocação pra alegria tímida, pra paixão sem 
orgasmos múltiplos ou pro amor mal resolvido sem soluços. 
Eu quero da vida o que ela tem de cru e de belo. 
Não estou aqui pra que gostem de mim. 
Estou aqui pra aprender a gostar de cada detalhe que tenho.
E pra seduzir somente o que me acrescenta. 
Adoro a poesia e gosto de descascá-la até a fratura exposta da
 palavra. 
A palavra é meu inferno e minha paz. 
Sou dramática, intensa, transitória e tenho uma alegria em mim 
que me deixa exausta.
Eu sei sorrir com os olhos e gargalhar com o corpo todo. 
Sei chorar toda encolhida abraçando as pernas. 
Por isso, não me venha com meios-termos, com mais ou menos 
ou qualquer coisa. 
Venha a mim com corpo, alma, vísceras, tripas e falta de ar... 
Eu acredito é em suspiros, mãos massageando o peito ofegante 
de saudades intermináveis, em alegrias explosivas, em olhares 
faiscantes, em sorrisos com os olhos, em abraços que  trazem 
pra vida da gente. 
Acredito em coisas sinceramente compartilhadas. 
Em gente que fala tocando no outro, de alguma forma, no toque 
mesmo, na voz, ou no conteúdo. 
Eu acredito em profundidades. E tenho medo de altura, mas não 
evito meus abismos.
São eles que me dão a dimensão do que sou.' 

(Maria de Queiroz)

domingo, 20 de março de 2011





Nem um dia
Djavan
Composição: Djavan

Um dia frio
Um bom lugar pra ler um livro
E o pensamento lá em você
Eu sem você não vivo
Um dia triste
Toda fragilidade incide
E o pensamento lá em você
E tudo me divide (bis)

Longe da felicidade e todas as suas luzes
Te desejo como ao ar
Mais que tudo
És manhã na natureza das flores

Mesmo por toda riqueza dos sheiks árabes
Não te esquecerei um dia
Nem um dia
Espero com a força do pensamento
Recriar a luz que me trará você

E tudo nascerá mais belo
O verde faz do azul com o amarelo
O elo com todas as cores
Pra enfeitar amores gris (bis)







O clima "final de tarde" de domingo me deixou nostálgica! Lembrei do querido Djavan, e sua belíssima canção "Nem um dia!
A letra é uma verdadeira poesia! Conferindo!!

Amo muito tudo isso!


"♪♫ Família, família. Cachorro, gato, galinha

Família, família. Vivi junto todo dia

Nunca perde essa mania ♪♫


          





Família ê ♪♫













Família a ♪


Família. ♪♫

Família ê ♪♫
Família a ♪ 
 Família. ♪♫
          


Família ê ♪♫
Família a ♪
Família. ♪♫



sábado, 19 de março de 2011







"A gente precisa é de um olhar fresco, que não envelhece, apesar de tudo o que já viu. 
É de um amor que não enruga, apesar das memórias todas na pele da alma. A gente 
precisa é deixar de ser sobrevivente para, finalmente, viver."














Dar vexame faz parte da vida e do amor!!!

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano.
Isso são só referências. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, 
pela paz que o outro lhe dá , ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, 
pela fragilidade que se revela quando menos se espera. 

(Ame e Dê Vexame - Roberto Freire!)


Uma semana cheia de luz na presença de Deus!




"Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente,
que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um 
é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois.... 
a vida é construída nos sonhos e concretizada no amor!"